.

HOME

ASTRONOMIA

 › História
 › Pesquisa Espacial
 › Satélites Artificiais
 › Telescópios
 › Dados

SISTEMA SOLAR

 › Sol
 › Mercúrio
 › Vênus
 › Terra
 › Marte
 › Júpiter
 › Saturno
 › Urano
 › Netuno
 › Planetoides

UNIVERSO

 › Asteroides
 › Cometas
 › Constelações
 › Estrelas
 › Via Láctea
 › Galáxias
 › Cosmos

ESPECIAIS

 › Catálogo Messier
 › Buracos Negros
 › Eclipses
 › Exoplanetas
 › Projeto SETI
 › Vida Extraterrestre

DIVERSOS

 › Últimas Notícias
 › Efemérides
 › O Céu este Mês
 › Dicionário
 › Fotos
 › Downloads
 › Links
 › Livros e Referências

CONTATO


 
 
 
 
 
SETI, PESQUISANDO VIDA INTELIGENTE NO ESPAÇO

O Projeto Phoenix

Radiotelescópio de Arecibo

O Projeto Phoenix é a maior e a mais séria pesquisa realizada sobre vida inteligente extraterrestre. Consiste em detectar civilizações através de sinais de rádio transmitidas de outro planeta. Phoenix é o sucessor do SETI da NASA, ambicioso programa que foi cancelado por corte no orçamento pelo congresso americano em 1993. O Projeto Phoenix começou suas observações em fevereiro de 1995 usando o Parkes, um radiotelescópio localizado em Nova Gales do Sul, Austrália. A partir de setembro de 1996 até abril de 1998, foi utilizado o radiotelescópio do Observatório Nacional em Green Bank, Virginia do Oeste. Atualmente a pesquisa é realizada pelo radiotelescópio de Arecibo em Porto Rico, e é sustentada inteiramente através de financiamento particular.

A pesquisa não examina o céu inteiro: as estrelas de maior interesse são aquelas que possuem características semelhantes ao nosso Sol. Estas estrelas tem uma maior probabilidade de hospedar um "planeta vivo", e dar manutenção à vida. À esta lista, foram incluídas as estrelas que são conhecidas por ter planetas. Há um total de mais de mil estrelas para observação, todas dentro de um raio de 200 anos-luz de distância.

O nosso Sol é uma única estrela em uma coleção de mais de 400 bilhões em nossa Galáxia. A Galáxia, por sua vez, é uma entre 1 bilhão de galáxias no universo. É no mínimo improvável que não haja vida lá fora!

O astrônomo Drake Fraco desenvolveu uma equação simples, agora chamada a Equação de Drake, mapeando estas possibilidades. Aqui está:

N = R * f(p) * n(e) * f(l) * f(i) * f(c) * L

Onde "N" representa o número de civilizações com condições de se comunicar em nossa Galáxia. Este número conta com vários fatores:

  • "R" é o valor de estrelas em formação na galáxia.

  • "f(p)" é a fração de estrelas que têm planetas.

  • "n(e)" é o número destes planetas com condições convenientes para formar a vida, levando em conta uma proximidade relativa da estrela; nem muito próximo (muito quente), nem muito longe (muito frio).

  • "f(l)" é a fração daqueles planetas em que a vida realmente se desenvolve.

  • "f(i)" a fração daqueles planetas em que a vida inteligente se desenvolve.

  • "f(c)" é a fração daqueles planetas onde a vida inteligente desenvolve uma tecnologia e tenta comunicação.

  • "L" é o tempo em que uma civilização inteligente dura.

O número mais difícil para se determinar é o "L". Nós estamos nesta fase de nossa evolução aproximadamente 50 anos. Considerando este número para o L, obtemos um resultado de 50, isto é, N = L.

N = 20 * 0.5 * 1 * 0.2 * 1 * 0.5 * 50

Se uma civilização superar sua tendência inicial para destruir a si mesma com a tecnologia que possui, então esta civilização provavelmente irá durar muito tempo.

Se uma civilização durar milhões de anos, haverá então milhões de civilizações para procurarmos.

O Problema: uma montanha de dados

O Programa do SETI possui hoje grandes computadores que analisam os dados do telescópio em tempo real. Porém nenhum destes computadores analisam os dados de sinais fracos, em função da grande quantidade de tipos de sinal. Para isto seria necessário super computadores, os quais o programa nunca teria condições de construir ou comprar. Em vez de um computador enorme para fazer o trabalho, teve-se a ideia de usar vários computadores menores, trabalhando simultaneamente em partes diferentes da análise.

E onde se pode encontrar milhares de computadores disponíveis para uso?

A maior parte destes computadores gastam tempo com torradeiras voando através de suas telas, efetuando absolutamente nada e desperdiçando eletricidade. É aqui que você pode contribuir...

Foi desenvolvido um screen saver que analisa os dados, e então envia os resultados via Internet. O SETI@home pede emprestado seu computador enquanto você não está usando, isto para ajudar "…pesquisar novas formas de vida e novas civilizações."

Já são 226 países envolvidos na pesquisa, milhões de usuários, inclusive brasileiros.

Caso você queira mais informações, visite a página do SETI Institute:

SETI Institute - Search for Extraterrestrial Intelligence

Para baixar o Seti@home clique aqui ou veja a página Downloads

 

 
Astromador - Astronomia para Amadores